Prefeitura diz que empréstimo de R$ 7 milhões garantirá diversas obras na cidade

Visando garantir recursos para importantes obras de infraestrutura da Estância Turística de Olímpia, a Prefeitura está fazendo gestões junto à Caixa Econômica Federal para viabilização de um financiamento de R$ 7 milhões de reais. O projeto que autoriza a operação de crédito com a instituição bancária já está sendo apreciado pela Câmara de Vereadores.

A busca de recursos externos à Prefeitura é uma forma de promover investimentos em obras de melhorias, principalmente viárias, importantes para a população de Olímpia, uma vez que os recursos do município, denominados de fonte própria, são utilizados, em sua grande maioria, nas aplicações em Saúde (22%), Educação (25%), Assistência Social (4%), além da folha de pessoal do município e outras obrigatoriedades que comprometem a maior parte do orçamento municipal.

Vale ressaltar que o pedido também se tornou uma alternativa encontrada pela Administração diante do cancelamento, reavaliação e corte de recursos dos Governos Estadual e Federal, que alegam ausência de reserva orçamentária e ajustes nas contas públicas.

Tal empréstimo, a princípio, tinha como destinação a construção de uma nova sede administrativa da Prefeitura, cujo projeto visava à centralização de serviços, readequação da estrutura e a consequente redução de aluguéis para abrigar os departamentos. No entanto, diante das prioridades do município, o recurso será aplicado em obras necessárias para a melhoria da infraestrutura urbana, ficando a construção da sede administrativa para o futuro.

Dentre as obras previstas para execução com estes recursos, está a construção de um dispositivo de acesso entre os bairros Quinta das Aroeiras e Quinta das Colinas, que tem o objetivo desafogar o trânsito na Avenida Alberto Oberg, devido ao grande crescimento populacional da região, e ainda oferecer uma passagem mais segura para os moradores do Aroeira que não possuem acesso regularizado pela Rodovia Álvaro Brito.

Outra melhoria estrutural a ser realizada com estes recursos será a construção de uma pista de caminhada e ciclovia na Avenida do Cinquentenário, que beneficiaria os bairros Morada Verde, Harmonia, Viva Olímpia e adjacências.

Parte do recurso deve ser empregada também na pavimentação asfáltica de algumas ruas de paralelepípedos que precisam ser recuperadas como as vias no bairro São José, na Rua Benjamin Constant, em frente ao Estádio Tereza Breda, e ao redor do Cemitério.

Ainda, caso haja excedente devido a negociações nas licitações das demais obras, será destinado cerca de R$ 1,5 milhão para implantação da Central de Hemodiálise, pedido bastante aguardado pelos moradores e que beneficiaria o tratamento de pacientes, que, atualmente, são transportados pelo município diariamente para outras cidades da região.

“Sabemos que é um montante alto, mas todo mundo sabe que bancos são rigorosos para fornecimento de empréstimos. Foi feita uma análise da capacidade de pagamento do município, antes da aprovação, e a Caixa e o Banco do Povo disponibilizaram R$ 60 milhões para o município, mas nós vamos tomar emprestado R$ 7 milhões, valor que consideramos suficiente para as prioridades. Se o banco considerasse um risco emprestar ao município, não estaria oferecendo empréstimo e nem teria aprovado nosso crédito. Além disso, foi uma medida que tomamos diante da situação incerta de recursos dos governos federal e estadual. Hoje não temos garantia desses recursos, nem de emendas parlamentares. Além disso temos a morosidade da liberação de verbas que demoram a chegar aos cofres da Prefeitura. Este é um empréstimo a longo prazo, que com a situação sólida que construímos nas finanças de nossa cidade, nos possibilitará executar as obras, sem comprometer os recursos empregados nos serviços do dia-a-dia”, explica o prefeito Fernando Cunha.

Além disso, a aprovação do empréstimo demonstra a confiança que os bancos têm em relação ao município, uma vez que são realizados estudos da situação financeira, limite de endividamento e a capacidade de pagamento por parte da Prefeitura. Assim, Olímpia, juntamente com Votuporanga e Rio Preto, são as três únicas cidades do Noroeste Paulista em condições de firmar os contratos com a Caixa.