Doria torna obrigatório o uso de máscaras no transporte coletivo, por aplicativos e táxis.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (29), no Palácio dos Bandeirantes, novas medidas no combate ao COVID-19.

A partir do dia 4 de maio, o uso de máscaras passa a ser obrigatório no transporte público coletivo sob o comando do governo do Estado e da prefeitura de São Paulo, como metrô, trens da CPTM, ônibus intermunicipais da EMTU e nos ônibus rodoviários interestaduais. A medida é válida também para táxis e transporte por aplicativos.

Em relação aos municípios do Estado de São Paulo, o governador João Doria recomendou que os prefeitos adotem as mesmas medidas e decretem a obrigatoriedade. “Eu tenho certeza que essa medida será seguida também por decretos municipais dos demais prefeitos do estado São Paulo, para tornar obrigatório o uso de máscaras no transporte coletivo, (…) sendo que a especificação disso será feita pelas prefeituras municipais como no caso da capital de São Paulo” disse o governador.

Em algumas cidades da região, essa medida já foi implantada. Em barretos, o decreto do prefeito Guilherme Ávila é ainda mais amplo, determinando o uso obrigatório de máscaras para todas as pessoas que saírem as ruas, recomendando ainda, que a saída seja apenas em casos de extrema necessidade.

Para utilizar o transporte coletivo de Rio Preto, os usuários também estão obrigados a utilizar máscaras, no entanto, a prefeitura elogiou a iniciativa dos próprios passageiros que mesmo antes da obrigatoriedade já estavam se protegendo.

Em Olímpia, até o momento, o uso de máscaras pelos passageiros não está obrigatório, no entanto, a recomendação da prefeitura é para que todos utilizem a proteção ao sair de casa.

 

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
coronavírus, covid 19, transporte público

Publicidade

Acompanhe as últimas informações oficiais de Olímpia sobre o coronavírus