Falta de matéria-prima prejudica produção de medicamentos e já afeta a Farmácia Municipal, diz prefeitura

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

A Prefeitura de Olímpia informou nesta terça-feira(12) que os efeitos da pandemia que atingem o setor farmacêutico do país já está prejudicando a distribuição de medicamentos pela Farmácia Municipal.

Segundo a prefeitura, a situação de instabilidade vivida por todo o país, devido à pandemia da Covid-19, é uma realidade que tem impactado todos os setores, com consequências mais preocupantes para a área de saúde. Em Olímpia, assim como em centenas de municípios, algumas das complicações são a aquisição e a entrega dos medicamentos na Farmácia Municipal.

O fato, segundo a secretaria de Saúde, é decorrente da dificuldade que os fornecedores estão enfrentando com a falta de matéria-prima para a produção dos medicamentos, que, em grande parte, vem de outros países como China e Índia. Com isso, há o atraso nos prazos de entrega e o consequente desabastecimento dos municípios.

Outros agravantes, alegados pelos fornecedores, são as barreiras comerciais impostas pelos países e a alta do dólar que, além de prejudicarem a importação, também fazem com que as distribuidoras, muitas vezes, solicitem à Prefeitura o realinhamento de valores já licitados. Além dos medicamentos adquiridos diretamente pelo município, os que são enviados pelos Governos Estadual e Federal também não estão chegando no prazo determinado sob as mesmas alegações.

Além disso, segundo a Farmácia Municipal, também houve um aumento significativo do número de atendimentos, chegando a 500 atendimentos por dia, e ainda crescimento da demanda por medicamentos, principalmente, os voltados ao tratamento e controle, por exemplo, de pressão, colesterol, depressão, bronquite, dor, entre outras enfermidades sazonais como gripes, resfriados e casos alérgicos que se intensificam nessa época.

Diante dos impasses, a Saúde informa que tem tomado todas as medidas cabíveis, entre elas, a aquisição dos remédios por compra direta para agilizar o abastecimento e a entrega, enquanto os demais processos licitatórios necessários seguem em andamento. O município acrescenta que a Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (REMUME) de Olímpia conta com cerca de 300 tipos de medicamentos, sendo uma das mais completas de toda a região. Ressalta ainda que os recursos para aquisição dos medicamentos estão assegurados e que tem feito gestão constante junto aos fornecedores e órgãos competentes para acompanhar a situação e normalizar o abastecimento dentro das possibilidades.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Falta de medicamentos, medicamentos, Olímpia, saude

Publicidade

Acompanhe as últimas informações oficiais de Olímpia sobre o coronavírus