Festival do Folclore de Olímpia recebe “Prêmio Inezita Barroso” em cerimônia na ALESP

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

O Festival do Folclore da Estância Turística de Olímpia foi contemplado na manhã desta sexta-feira, dia 6, em cerimônia na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com o “Prêmio Inezita Barroso”. A homenagem foi de iniciativa da deputada estadual Beth Sahão. O evento foi realizado a partir das 10h, no Auditório Juscelino Kubitschek, na capital paulista. Olímpia esteve representada pelo secretário de Cultura, Esportes e Lazer em exercício, Charles Amaral (diretor de Cultura do município) e pelo Grupo Parafolclórico “Frutos da Terra”.

“Gostaria de agradecer, em nome do prefeito de Olímpia, Fernando Cunha, e do secretário de Cultura, Esportes e Lazer, Guto Zanette, a presidente da Comissão de Educação e Cultura, deputada Bebel, e a deputada estadual, Beth Sahão. Não poderia deixar de citar o criador do Festival, professor José Sant’anna, que deixou esse legado. Também a importância do prêmio Inezita Barroso. Inezita visitava muito Olímpia, por isso estamos fortemente ligados a esta querida e saudosa artista. O Festival chega este ano em sua 56º edição e esperamos cerca de 150 mil pessoas durante os 9 dias de evento e mais de 1.800 artistas de quase todos os estados brasileiros”, disse Charles Amaral.

A deputada Beth Sahão usou a palavra em seguida e, após as saudações, destacou a cerimônia como uma manhã de festa. “Hoje estamos aqui acompanhando estas manifestações culturais do nosso querido interior do Estado. Olímpia é uma cidade que frequento há muitos anos. Não perco um Festival. O Fefol movimenta a cidade, movimenta a economia. Olímpia respira cultura nesse período. Em 2019, passaram pela festa cerca de 140 mil pessoas”, comentou a deputada. “O Festival do Folclore é muio expressivo. Fico muito feliz por ter apresentado aqui o projeto de lei para incluir este importante evento no Calendário Oficial de Turismo do Estado de São Paulo”, completou Beth Sahão.

Depois dos discursos oficiais, o Grupo Frutos da Terra apresentou uma dança ao som de uma música da cantora Inezita Barroso.

O prêmio, criado por meio do Projeto de Resolução 31/2015, de autoria do ex-deputado estadual Marcos Martins, tem o objetivo de valorizar a cultura caipira de raiz e qualquer forma de arte popular que a complemente. De acordo com a Alesp, o prêmio é concedido a 10 personalidades (físicas ou jurídicas), grupos ou entidades que se destacam por sua contribuição à música caipira de raiz e à cultura sertaneja no Estado. Os premiados são indicados por parlamentares e pela sociedade civil.

Nesta edição, a lista de candidatos recebeu 28 indicações ao prêmio. No entanto, apenas 10 representantes do sertanejo brasileiro foram premiados. Os escolhidos do ano foram Adalberto Tadeu Baptista (Beto do Lolo) – Guapiara; Chico Amado & Xodó – Sumaré; Festival do Folclore de Olímpia – Olímpia; Filpo Ribeiro – São Paulo; Guaracy Júnior – São Paulo; Irineu Santos – São Paulo; Mauri Lima e Orquestra de Viola Caipira de Hortolândia – Hortolândia; OSCIP Sentimento Sertanejo – Poloni; Pereira da Viola – Ribeirão Preto; e Teodoro & Sampaio – São Paulo.

Outros dois artistas indicados pela sociedade civil, Dorinho (In Memoriam), de Bernardino de Campos, e a dupla sertaneja Douglas e Kauan, de Santa Bárbara d’Oeste, também foram homenageados na sessão solene.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Beth Sahão, Charles Amaral, Deputada Beth Sahão, Parafolclórico, Prêmio Inezita Barroso

Publicidade

Acompanhe as últimas informações oficiais de Olímpia sobre o coronavírus