Paralelepípedos começam a ser retirados para pavimentação de ruas

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Considerada uma das obras mais pedidas pelos moradores da Estância Turística de Olímpia, a remoção dos paralelepípedos começou a se tornar realidade. A Prefeitura, por meio da secretaria de Obras, Engenharia e Infraestrutura, deu início, nesta quarta-feira, dia 08, à retirada dos blocos da Rua Gastão Vidigal, no fim da Rua Síria, próximo ao Cemitério Municipal.

A obra faz parte dos projetos de melhoria na infraestrutura das ruas e avenidas do município, com recuperação asfáltica e pavimentação. No local, a equipe está retirando os paralelepípedos e fazendo o tratamento estrutural para a via receber a camada de asfalto, guias e sarjetas.

Após este trecho, as obras serão iniciadas no bairro São José e também em ruas do Centro, que são de paralelepípedo e serão pavimentadas por não terem possibilidade de recuperação. As melhorias contemplarão as Ruas Benjamin Constant e Floriano Peixoto, no Centro, e Dr. Otávio Lopes Ferraz e Albano de Almeida Camargo, na São José.

A remoção dos paralelepípedos é um pedido antigo dos moradores e dos motoristas, que sofrem com as irregularidades das ruas. A questão, que é um compromisso da gestão, vinha sendo tratada pelo prefeito desde o início com o objetivo de oferecer mais qualidade e infraestrutura adequada.

Para as obras será investido mais de R$ 1 milhão, por meio da operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (FINISA), que foi aprovada pela Câmara de Vereadores. A empresa responsável pela obra é a HP Engenharia Ltda.

Levando em consideração ainda o valor histórico dos paralelepípedo, todos os blocos retirados das ruas serão levados para a Estação Ferroviária, onde está sendo construído o Centro Cultural e Turístico. Eles serão restaurados e assentados no espaço, como era antigamente nas linhas dos trens para preservação do patrimônio cultural.

“Esta é mais obra importante que estamos conseguindo concretizar na gestão com planejamento. O caso dos paralelepípedos é uma questão delicada porque precisamos mexer em toda a estrutura da via, com a construção de galerias pluviais, sarjetas e guias para, só então, pavimentar. Além disso, tínhamos o valor histórico, por isso, fizemos um estudo sobre a restauração e o destino das peças, enquanto levantamos investimentos e planejamos a execução, que exige mais tempo, para tentar causar o mínimo de transtorno possível aos motoristas e moradores. Começamos pela Gastão Vidigal, que tem grande fluxo de trânsito, e depois passaremos para os demais locais”, explicou o prefeito Fernando Cunha.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Empréstimo de 7 milhões, Olímpia, Paralelepípedos

Publicidade

Acompanhe as últimas informações oficiais de Olímpia sobre o coronavírus