Tereos certifica mais duas unidades no RenovaBio

Em linha com seu compromisso com práticas agrícolas e industriais sustentáveis e que respeitem o meio ambiente, a Tereos Açúcar & Energia Brasil recebeu esta semana a certificação do RenovaBio das unidades industriais Mandu, em Guaíra (SP), e Severínia, localizada na cidade de mesmo nome no noroeste do estado de São Paulo. Ambas obtiveram a certificação para etanol hidratado e anidro da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Com isso, as usinas podem emitir agora os Créditos de Descarbonização (CBIOs). Os volumes elegíveis ficaram em 98,44% no caso da Mandu e 96,10% na unidade de Severínia.

Em fevereiro, a Tereos certificou suas duas primeiras unidades no programa RenovaBio: Andrade, em Pitangueiras (SP), e Cruz Alta, em Olímpia (SP). Agora, quatro unidades podem emitir os Créditos de Descarbonização (CBIOs).

Segundo Edilberto Bannwart, diretor de Sustentabilidade da empresa, a expectativa em torno do RenovaBio é grande. “O desenvolvimento sustentável está na base do nosso negócio. Por isso, desde o início das discussões acreditamos muito no potencial desse programa como alavanca para um projeto de longo prazo na mitigação das emissões de gases de efeito estufa.” As outras três unidades industriais – São José, Tanabi e Vertente – estão em fase final do processo de certificação.

CBIOs
Cada CBIO equivale a uma tonelada de carbono que deixará de ser lançada na atmosfera. Até 2028, a estimativa é que a matriz de combustíveis no país reduzirá em 10% as suas emissões de carbono.

Os CBIOs significam uma demanda que já está contratada. Isso porque as distribuidoras de biocombustíveis deverão comprar os títulos, de acordo com as metas estabelecidas pelo Programa. Esse número será determinado anualmente, de acordo com a quantidade de combustíveis fósseis vendidos no ano anterior.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Publicidade

Acompanhe as últimas informações oficiais de Olímpia sobre o coronavírus